Notícias

por Interlegis — última modificação 03/05/2016 11h02
Banco de notícias desta Casa Legislativa.

Transparência para todos

por bcv publicado 21/03/2018 01h50, última modificação 21/03/2018 01h50

Com o objetivo de aumentar o controle social e proporcionar mais transparência às ações administrativas, possibilitando ao cidadão acompanhar a aplicação dos gastos públicos e aumentando assim o combate à corrupção, a Câmara Municipal de Bocaiuva instituiu o Portal da Transparência da Câmara.

acesse 

Dúvidas com relação à doença Febre Amarela

por bcv publicado 21/03/2018 01h46, última modificação 21/03/2018 01h46

á dois tipos de febre amarela, a silvestre e a urbana. Qual é a diferença entre elas?

A silvestre é disseminada pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, circulantes em matas, e não em cidades. A versão urbana é transmitida pelo Aedes aegypti, o mesmo da dengue, do zika e da chikungunya. Não há registro de febre amarela urbana no Brasil desde 1942. As mortes de agora foram causadas pela versão silvestre, unicamente.

 

Existe a possibilidade de os mosquitos Haemagogus e Sabethesirem para a área urbana?

Não. Os mosquitos Haemagogus e Sabethes são de gêneros diferentes, mas tem comportamentos parecidos. Eles vivem em áreas de florestas densas, com vegetação abundante. Voam alto e geralmente ficam na copa das árvores. Sua fonte principal de alimentação é o sangue dos macacos que estão lá em cima. Ou seja, estão totalmente adaptados a hábitos silvestres que não vão encontrar na cidade.

 

Por que a versão urbana é um problema?

Porque seu potencial de disseminação é grande, na medida em que circularia nas cidades, em meio a um número muito maior de pessoas.

 

O macaco pode transmitir febre amarela?

Não. A febre amarela não é uma doença contagiosa, por isso sua transmissão não é feita de animal para animal, tampouco de animal para humanos nem entre humanos. A única forma de transmissão é pela picada de mosquitos infectados.

 

Qual é o papel de primatas na transmissão?

Primatas podem se contaminar com o vírus, exercendo também o papel de hospedeiros. Se picados, os animais transmitem o vírus para o mosquito, aumentando, assim, os riscos d

fonte:https://www.tanabi.sp.gov.br/post/duvidas-com-relacao-a-doenca-febre-amarela-e-vacinacao-no-estado-de-sao-paulo-1516891157

DIGA - Não ao preconceito!

por bcv publicado 21/03/2018 01h44, última modificação 21/03/2018 01h44

O amor não se importa com o número de cromossomos. Hoje é o Dia Internacional da Síndrome de Down, vamos olhar com muito carinho para essas pessoas tão amáveis e especiais! 

DIGA - Não ao preconceito!

Construir um ambiente saudável e livre da ameaça é função de todos

por bcv publicado 21/03/2018 01h40, última modificação 21/03/2018 01h40

Construir um ambiente saudável e livre da ameaça é função de todos

Todos devem estar atentos aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, para não deixá-lo nascer. Esse cuidado também deve ser adotado no ambiente de trabalho, sobretudo porque o mosquito é mais ativo durante o dia, período em que a maioria das pessoas está trabalhando.

Por isso, a atuação de empresas e órgãos públicos e privados na elaboração de ações para engajamento dos trabalhadores como protagonistas é fundamental para o enfrentamento ao vetor. O combate ao Aedes aegyptideve ser incluído nas políticas de saúde e segurança das empresas. Também é importante traçar plano de ações, metas e acompanhamento das inciativas.

Com foco na eliminação dos locais em que possam acumular água, é recomendável que o plano de ação tenha ações de educação e mobilização dos trabalhadores e trabalhadoras; combate aos focos do mosquito; e comunicação e informação.

Eliminação de focos do mosquito

O Ministério da Saúde criou o Plano Integrado de Ações para Combate ao Aedes aegypti. Todos os dias, uma força-tarefa formada por brigadistas, equipe de limpeza e trabalhadores em geral percorre o interior dos prédios do Ministério da Saúde e as áreas externas de seu entorno, com o objetivo de garantir ambientes sempre limpos e livres de focos do mosquito.

Para realizar a vistoria, toda semana a equipe segue um check list com 25 pontos a serem observados para não acumular água parada e se tornarem ambientes propícios para criadouros do Aedes aegypti. Além da eliminação de eventual água parada, os locais são limpos para a retirada de possíveis focos. A partir dos dados das vistorias, são produzidos relatórios de avaliação e definição de novas estratégias

 

Novembro Azul: Todos contra o Câncer de Próstata

por Interlegis — publicado 13/11/2017 14h35, última modificação 30/11/2017 11h06

Durante o mês de novembro, diversos monumentos e locais públicos de grande visibilidade em todo o País ganham iluminação especial em referência ao Novembro Azul, campanha nacional de combate ao câncer de próstata. A ação visa chamar atenção para a realização dos exames preventivos e a importância do diagnóstico precoce da doença.

 

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o mais incidente entre os homens de todas as regiões do País, sendo a maior taxa na região Sul, onde há 91 casos novos a cada 100 mil homens. No Nordeste, a incidência é de 47 casos novos para cada 100 mil homens.

O movimento conhecido como Novembro Azul teve início na Austrália, em 2003, por conta do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata (17 de novembro). A partir daí, muitas entidades abraçaram essa causa para chamar a atenção do homem para a importância da prevenção e da detecção precoce desse tipo de câncer. Como no Outubro Rosa (dedicado à conscientização do câncer de mama). Em muitos países, há reuniões entre os homens para falar sobre saúde masculina, incluindo não só o câncer de próstata, mas o câncer de testículo, depressão masculina e outras doenças.

No Brasil, o Novembro Azul foi criado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque, e obteve ampla divulgação. Em 2014, o Instituto realizou 2.200 ações em todo o Brasil, com a iluminação de pontos turísticos (como Cristo Redentor, Congresso Nacional, Teatro Amazonas, Monumento às Bandeiras), adesão de celebridades (Zico, Emerson, Rubens Barrichello), ativações em estádios de futebol, corridas de rua e autódromos, além de palestras informativas, intervenções em eventos populares e pedágios nas estradas.

Portal da Transparência

por Interlegis — publicado 23/05/2017 14h30, última modificação 25/05/2017 01h00
O objetivo do Portal da Transparência é assegurar a boa e correta aplicação dos recursos públicos aumentando a transparência da gestão pública, permitindo que o cidadão acompanhe como o dinheiro público está sendo utilizado e ajude a fiscalizar
Portal da Transparência

A divulgação, de forma transparente, das Ações Governamentais, contribui com o processo democrático, permitindo aos cidadãos acompanharem os gastos e receitas executados pela Administração Pública.

O Portal da Transparência é um canal onde qualquer cidadão possa, de forma facilitada, efetuar consultas relativo aos gastos e receitas realizadas pelo poder público - administração direta, autarquias, fundações, legislativo, etc.

DIA DAS MÃES

por Interlegis — publicado 06/07/2016 14h31, última modificação 15/11/2016 17h58

 

Ser Mãe… É a missão de maior responsabilidade. É amar de forma mais completa. É dar o melhor de si e não esperar nada em troca… À ela devemos nossa vida pois é merecedora de todo nosso respeito e digna de todo nosso afeto. Mãe é sinônimo de Amor e Bondade.

Feliz Dia das Mães! 

Palestra - Gestão Financeira das Câmaras de Vereadores

por Comunicação publicado 07/06/2016 10h45, última modificação 15/11/2016 17h58
Gestão Financeira das Câmaras de Vereadores
Palestra - Gestão Financeira das Câmaras de Vereadores

Palestra

O Senhor Ivan Fonseca de Oliveira, contador e sócio-diretor da Empresa Contass Contabilidade e Consultoria, ministrou uma palestra na Câmara de Bocaiúva sobre o tema:  Gestão Financeira das Câmaras de Vereadores.

Ações do documento